Sobre a Dedeka     Ver Coleção Outono-Inverno 2018     Ir para Loja Virtual     Moronomundo
 
2018
Janeiro
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010
2009
 
   
 
 

Concurso cultural Dedeka e Dono C„ociente - Dia dos Animais

 
04/10
Quinta-Feira
 
TAGS: Sorteio
 
 O que você faria se encontrasse um animal abandonado?



A melhor resposta escolhida pela equipe da Dedeka e pela equipe do Dono Cãociente ganhará um porta pijama de urso panda e ainda qualquer produto abaixo, da linha “Se eu pudesse ser um bichinho”.




Você pode deixar a sua frase no blog, no Facebook ou no Twitter da Dedeka ou no Facebook do Dono Cãociente até o dia 22/10. O resultado será divulgado dia 26/10.



  

 
 
Comentar 28 comentário(s) Enviar
Twitter
 
 
 

Adotar ť um ato de amor!

 
04/10
Quinta-Feira
 
TAGS: Dono C„ociente
 
  

  
Se você gostou de algum dos peludos acima, entre em contato com a Silvia Sayuri pela página Dono Cãociente. Estão todos em São Paulo
 

Adotar um animal de estimação é um grande ato de amor! Adoção significa dar uma segunda chance a um peludo, independentemente de sua raça, idade ou sexo, que em algum momento de sua vida foi abandonado ou já nasceu sem rumo.

Os benefícios da adoção não são apenas dos animais, mas também da família adotante que ganhará um grande companheiro!

Uma adoção responsável engloba diversas responsabilidades que devem ser analisadas cuidadosamente. E lembre-se: um animal de estimação vive em torno de 15 anos ou até mais.

Qual escolher
Procure um CCZ - Centro de Controle de Zoonoses, abrigos ou protetores sérios em sua cidade que resgatam e cuidam de animais. Estes animais serão doados sempre castrados, vacinados e vermifugados.

Você deverá optar entre um filhote ou um adulto. A sugestão é conversar primeiramente com os voluntários ou protetores para saber mais detalhes sobre o temperamento do cão, caso opte por um adulto, pois nem sempre os cães tiveram algum contato com crianças. Entretanto, não descarte a opção de um cão adulto. Você poderá se surpreender!

Atenção na hora da escolha para evitar uma decisão calorosa e impulsiva. Infelizmente muitos pais acabam deixando a decisão da adoção na mão da criança, sendo este um erro gravíssimo. E pior, alguns destes animais acabam sendo “devolvidos” ou abandonados novamente.

Responsabilidades
Não é só o animal adotado que será educado, mas a criança também. Crianças muito pequenas não sabem lidar com um animal e algumas atitudes podem assustá-lo, como por exemplo, puxar pelos, orelha ou rabo. Tal ação pode ocasionar um acidente, caso o animal se sinta desconfortável, com dor ou medo. Os limites devem ser mostrados à criança e assim ela aprenderá a respeitar muito mais seu companheiro. Os pais deverão também sempre supervisionar seus filhos e animais quando estiverem juntos.

Os pais ensinarão ao filho que o peludo não é brinquedo e que requer cuidados com alimentação, saúde, higiene, atividades físicas, além de dar muito amor. Tais responsabilidades nunca serão exclusivamente da criança e sim dos adultos. Os pais poderão atribuir uma tarefa para a criança ou juntos executá-la, havendo assim um envolvimento maior da criança com o animal. Se o cão souber algum comando, a criança poderá também participar do adestramento do peludo.

Benefícios
Os benefícios em ter um peludo em casa são muitos! Além de ser um grande companheiro, desenvolve na criança critérios de responsabilidade e afeto.
 

O cão Yuri, um pitbull cego, recebendo o carinho do amigo Max
Crédito: Rosy Cunha

Por isso, atualmente muitos cães trabalham como terapeutas e efetuam atividades com crianças.

Recentemente, pesquisadores da Finlândia concluíram que crianças que convivem com cães e gatos são mais saudáveis e apresentam menos problemas de infecções respiratórias no primeiro ano de vida do que aquelas que não têm contato com os animais.

Fique ligado! Pra comemorar o Dia dos Animais, que é hoje, tem concurso por aí...

 
Comentar 7 comentário(s) Enviar
Twitter
 
Dono C„ociente
Saiba mais
 
 

A m„e e a culpa

 
03/10
Quarta-Feira
 
TAGS: Lu Vicenzi
 
Esse final de semana, conversando com uma amiga, ela soltou uma frase que considero uma das maiores verdades que escutei nos últimos tempos: “toda mãe sente culpa. Até se o filho espirra ela se sente culpada...”

E eu concordo plenamente com ela.

Sempre tento pensar da seguinte forma: ERA PARA ACONTECER, mas lá no fundo sei que me culpo. E então, não consigo parar de pensar em uma amiga que mora no Rio e que está com o pequeno filho internado com uma doença rara...

Ela foi super perspicaz, percebendo que o menino não queria mais caminhar e o levou ao pediatra. Depois de muitos exames, constataram uma inflamação grave no osso do fêmur que se espalha pelos outros ossos. Ainda sem controle.

Fico pensando na culpa que ela está sentindo. Mesmo que dela não tenha vindo culpa alguma. Me coloco no lugar dela, vendo o pequeno João sendo “picado” com soros e medicamentos e fico imaginando as lágrimas escorrendo pelos seus olhos.

Gostaria de dizer a ela seja forte, mas não vou dizer. Porque ao mesmo tempo gostaria de dizer: chore escondida tudo o que você quiser. É direito seu. Somos mães, mas não somos de ferro. Também esmorecemos. Mas acredite. A medicina é milagrosa. Logo o pequeno estará bem e correndo ao redor da Lagoa!

Revivo nela todas as vezes que levei o Gui ou a Kaká ao hospital. Relembro da vez em que uma estúpida postulante ao cargo de pediatra me disse que minha filha tinha leucemia quando ela tinha apenas 1 ano e 1 mês, quando na verdade era desidratação. Recordo do dia em que entreguei o Gui à médica para corrigir o pênis em torre, e de todas as outras vezes que adentrei os plantões com a cabeça do guri aberta (já foram duas até agora... para manter um certo equilíbrio...) ou então da vez em que a Kaká, com dois meses, foi submetida à anestesia geral para corrigir o pé torto congênito...
 
  
Crédito: arquivo pessoal Lu Vicenzi

Nenhuma delas foi fácil.

Em todas, a fé me acompanhou, junto com a tal da culpa.

Em todas eu sobrevivi, saindo mais forte de cada “acidente de percurso”.

Entendi que cada coisa que acontece com nossos pequenos nos torna mais forte. Nos dá mais coragem de enfrentar a vida, mesmo que a gente tenha que chorar escondido de todos por alguns segundos.

Levamos o peso da vida nas costas.

Por alguns anos??? Antes eu pensava que sim, agora acho que não. Acho que vou me preocupar com eles para sempre!
 
 
Comentar 4 comentário(s) Enviar
Twitter
 
Lu Vicenzi
Saiba mais
 
 

Mandamento dos animais

 
01/10
Segunda-Feira
 
TAGS: Paula Belmino
 
  

 Ama os animais

Cuida deles

São teus amigos

Se lhes falta o lar

Oferta teu coração

Não sabem falar

Mas querem atenção

Ama os animais

Cuida deles

São pérolas da natureza

Criança pertinho dele cresce segura

Com felicidade e muita beleza.

Ama os animais

Oferta o pão

Não deixe que os maltrate

Dá tua mão

Em dias de chuva e de sol

Eles serão teus companheiros

Ama os animais

E um guardião terá por certeiro

Ama os animais

Pois são criaturas de Deus como tu

Respeitá-los e abençoá-los

É mandamento número Um.
 
 
Comentar 1 comentário(s) Enviar
Twitter
 
Paula Belmino
Saiba mais
  Página:   «   5   6   7   8   9   10   11   12   13   »